Amor e criação




Um feito das mãos de onde o amor tem origem
Num sopro do vento que o sentimento lança
Na prece dos peitos onde os medos afligem

Um toque do lábio de onde a paz descansa
Na dor da saudade pela ida dos amados
Num conforto a ti lançado e na tua confiança

No temor do fracasso nesses pés acorrentados
À espera da chave pra pisar nesse jardim
Se vê fora desse medo pro sonho conquistado

E se moldado pela arte das mãos do Divino vim
Se dos Seus o reflexo dos meus foram criados
Do barro meu coração feito para Teus olhos, fim.



Eu, João.