Bebo, logo existo!


Mais um gole nessa aguardente
Que fere e bombardeia um amor ausente
Que de ausente não tem nada dentro de mim

De gole em gole, de copo em copo, de giro em giro
Envio cachaça nesse coração aflito
Que já cansou de esperar que essa angústia tenha um fim

Bebo por saudade, bebo por vontade, bebo por abrigo
Bebo por que sei que sofro por esse amor bandido
E saiba que sofro por causa de você

Bebi ontem, bebo hoje e amanhã irei tomar umas
Só pra não ter mais lembrança, memória alguma
Só pr'eu saber que um dia vou conseguir te esquecer. 

Eu, João.