Éramos; somos.


Tanto éramos. Tanto fomos. Tanto que nada deixou de ser imenso. Nem mesmo deixou de ser muito. Nem mesmo deixou de ser. 
Tanta luz, tantas trilhas, tantas escolhas. Seguimos. E, continuamos seguindo. Apesar de trilhos diferentes, iguais como um e um. 
Éramos tanto. E nem deixamos de ser. 
Não era metade, nem ela a outra. Éramos dois. Dois é mais forte que duas metades. 
Éramos dois, nós dois... 
Nós três...
Três por causa do nosso amor; 
Quatro quando o sonho era presente; 
Um quando fomos realidade. 
E era nós, apenas nós. Nunca deixou de ser. Você e eu, eu e você.

Eu, João.