Quando ouvi... #1: Pra Onde Você Vai (Lobão)

Na primeira vez que essa canção entrou em meus ouvidos, foi possível imaginar todo o cenário que ela cita. Na verdade, eu acabei criando um cenário e eu me tornei um dos personagens principais. Foi possível sentir tudo. A solidão, a necessidade, o amor, a saudade. Deu pra imaginar cada canto de um quarto escuro. Deu pra imaginar cada dor sentida em cada palavra. Foi tocante, foi profundo, foi maravilhoso. A composição acerta em cheio o coração. Mostra que a lembrança, às vezes, por mais que seja de um amor, dói. É como se você fosse uma ovelha perdida, sendo rodeada por um grande lobo. Uma hora ele te pega. E quando pega... é difícil se livrar. É assim que a saudade chega como um grande lobo. É assim que percebemos que a dor do amor pode chegar.
Sem mais, Pra Onde Você Vai.



Pra Onde Você Vai
(Lobão)

Nas paredes escrevia o seu nome
Pra tentar esquecer
No espelho assistia à própria dor
De lembrar
Na sala vazia, a televisão ligada
Uma tentação de existir
Na cama, sem dono, eu perguntava
Como tudo foi acabar

Minha aventura
Pra onde você foi?
Pra onde você vai?

Se, ao menos, tanta coisa que se vive junto
Não evaporasse assim
Se, ao menos, na hora dela me deixar
Precisasse um pouco mais de mim
Se, ao menos, no escuro eu conseguisse apagar
Dormir sem sonhar, apenas
Dormir sem sonhar?

Minha aventura,
Pra onde você foi?
Pra onde você vai?




Eu, João.