Vestígios


Você sente falta. O universo percebe e conspira para que sua saudade aumente. A chuva resolve cair, faz com que as noites se tornem longas. Seu celular aparentemente sabe do que está acontecendo e só reproduz canções tristes. São suas trilhas de lembranças.
Depois vem o desejo do colo, o desejo do consolo, o desejo do corpo. Vem o desejo de uma dose em um copo. Vem o desejo de uma dose de conversa. Depois disso, você quer matar a necessidade. Quer estar com alguém, quer ser alguém pra outro alguém, quer se sentir bem. Então, a ficha cai e você se encontra só.
No final das lágrimas, percebe que a saudade é a fome da alma. A pausa na calma do coração. E é, além de tudo, um gatilho para que o desejo daqueles braços, se torne ainda maior.

Eu, João.